as impressoras rotativas exigem blanquetas especiais?

 

 

Resposta: 
Velocidades elevadas, tintas heatset e tendência do papel de desprender partículas, são condições que exigem o máximo das blanquetas. As mais adequadas para  suportar estas condições devem reunir as seguintes propriedades: superfície dura, carcaça resiliente, baixa absorção de tinta e máxima resistência aos solventes.
É possível produzir blanquetas excepcionalmente resistentes aos solventes empregando polímeros sintéticos. Infelizmente, isso proporciona baixa receptividade à tinta. Os fabricantes procuram um ponto de equilíbrio tecnicamente adequado entre receptividade e resistência aceitável ao veículo da tinta. 
As tintas heatset modernas têm baixo valor KB (30 KB), tack reduzido e resistência à emulsão, contribuindo enormemente para o aumento da vida das blanquetas.
Embora as blanquetas sejam bastante resistentes às tintas heatset, elas absorvem o veículo das tintas (hidrocarbonetos). Por essa razão, é recomendável tratar as blanquetas novas com o próprio redutor das tintas, duas ou três horas antes de montá-las em máquina. O excesso de redutor deve ser eliminado da superfície da blanqueta.
Nas impressoras perfect (blanqueta–blanqueta), o uso de blanquetas compressíveis dispensa a necessidade de escalonar os calços da primeira até a última unidade, para garantir a puxada do papel, como acontece com as blanquetas convencionais.
Com bobinas estreitas, ocorre acúmulo de tinta nas laterais da blanqueta, representando um sério problema. Nesse caso, recomenda-se cortar os calços de acordo com a largura da bobina. Não é recomendável usar bobinas estreitas com blanquetas novas, visto que estas sofrem redução de espessura durante as primeiras horas de uso e, com certeza, causarão problemas com bobinas mais largas.
As blanquetas usadas nas máquinas rotativas estão sujeitas a muitos riscos devido a: pó de papel, tintas contendo solventes agressivos, acúmulo, particularmente na impressão de jornais. Até o momento, o único remédio tem sido lavagens freqüentes, embora o desenvolvimento de novas soluções de molhagem, tintas de baixo tack, lavadores automáticos de blanqueta etc., ajudem no caso de papéis que desprendem muito pó.