o que são chapas digitais?

 

 

Resposta: 
Chapas digitais são aquelas copiadas diretamente a partir de um arquivo digital, sem o uso de filmes (fotolitos).
As chapas de poliéster podem ser copiadas por difusão de prata, por impressão a laser ou através de laser térmico por erosão.
As chapas de alumínio podem ser copiadas por laser térmico ou visível. As primeiras, podem ser de difusão de prata, fotopolimérica ou híbrida. As chapas térmicas podem ser ablativas ou não-ablativas.
As chapas de haleto de prata têm alta velocidade de cópia (0.002 milijoules/cm2), elevada resolução de cópia (1% a 99% com 250 lpi), admitem o uso de retícula estocástica de 21 mícrons e suportam tiragens de até 350 mil cópias.
As chapas híbridas combinam a flexibilidade e a qualidade da tecnologia de prata com a versatilidade de uma chapa analógica. Sua alta sensibilidade de camada permite o uso de laser de baixa potência. Suportam tiragens de até 150 mil cópias, porém admitem queima, aumentando sua durabilidade para até um milhão de cópias.
As chapas fotopoliméricas são convenientes por envolverem processamento convencional, já dominado pela indústria gráfica, porém têrm resolução limitada, exigem luz de segurança (vermelha) e são sensíveis ao calor e à umidade.
As chapas térmicas são sensíveis à radiação de 830 ou 1064 nm, têm resolução de cópia de 1% a 99% com 250 lpi, podem ser processadas em luz ambiente e suportam 150 mil cópias (sem forneamento) ou um milhão após queimadas. O laser IR aquece a camada e o calor promove uma reação química, formando uma imagem latente. Podem ser utilizadas em equipamentos com tambor interno, tambor externo ou mesa plana.
Nas chapas ablativas (erosão) muita sujeira é produzida, exigindo filtros na plotadora (platesetter). A tiragem é limitada a menos de 50 mil cópias. Estas chapas não podem ser queimadas. O princípio de formação da imagem envolve a fusão da camada de prata nas áreas de contragrafismo por um laser térmico de alta intensidade. A tensão superficial da prata liquefeita causa a aglutinação da prata em pequenas esferas de 0.1 mícron a 1.0 mícron. Após a solidificação da prata, esta é removida por um sistema de sucção.
Nas chapas não-ablativas, a imagem é gerada diretamente na impressora ou em CTP (laser de 830 nm). Nesse caso, não é necessário um sistema de remoção de resíduos. O contragrafismo é removido na impressora, pela solução de molhagem. A durabilidade dessas chapas é cerca de 20 a 30 mil cópias.