por que a tinta demora a secar?

 

 

Resposta: 
A secagem das tintas ofsete pode envolver diversos processos: penetração no suporte, evaporação, filtração seletiva, catálise, termoassentamento, indução por radiação (UV, IR, EB) e outros. Duas fases são consideradas: na primeira, chamada assentamento, a viscosidade da tinta aumenta e esta se imobiliza na superfície do suporte, isto é, deixa de penetrar no interior dos poros do papel; na segunda, ocorre polimerização das resinas e óleos secativos ativados pelo oxigênio; esta segunda fase é também chamada de óxido-polimerização ou polimerização oxidativa. Em suportes não-absorventes (sem penetração) as duas etapas se confundem.
Os papéis e cartões podem ser microporosos ou macroporosos. Nos papéis microporosos, a parte mais fluida do veículo da tinta penetra por ação capilar, deixando na superfície os pigmentos e ligantes da tinta que, na seqüência, polimerizam; nos suportes macroporosos não ocorre filtração seletiva e, para compensar, as tintas são formuladas com secantes. O tempo de secagem nos dois processos é muito diferente. No primeiro, os impressos podem ser manipulados após cerca de 2 a 4 horas; no segundo, o tempo de espera deve ser superior a 12 horas, para evitar que ocorra decalque, riscos e outros problemas. Desse modo, cada estrutura porosa de papel exige um tipo diferente de tinta.
Além desses fatores, outras variáveis podem interferir na secagem, positiva ou negativamente, tais como: emulsionamento com a solução de molhagem (retarda a secagem), pH da solução de molhagem (retarda ou inibe a secagem quando muito ácido), umidade relativa do ar (inibe a secagem quando acima de 75%), temperatura (acelera a secagem quando aumenta), carga de tinta (quanto maior, maior o tempo necessário) etc.